Bookmaker artbetting.co.uk - Bet365 review by ArtBetting.co.uk

Bookmaker artbetting.gr - Bet365 review by ArtBetting.gr

Germany bookmaker bet365 review by ArtBetting.de

Premium bigtheme.net by bigtheme.org

Cursistas fazem no encerramento do curso ato contra a LGBTfobia

Juan Maria Lopes 16 de janeiro de 2017 0
Cursistas fazem no encerramento do curso ato contra a LGBTfobia

31972550470_3f68c87e13_zCursistas realizaram no último sábado (14 de janeiro) intervenção na cerimônia de encerramento do 30º Curso de Verão por mais visibilidade aos LGBTs na sociedade. Os cursistas já haviam se reunido no ano passado para pedir à coordenação do Curso mais espaço à discussão da sexualidade, o que resultou na criação da tenda (oficina) Juventude e Direitos, que discute o tema de gênero e sexualidade, entre outros temas.

Os cursistas interromperam o início da cerimônia ao saírem de seus lugares no teatro TUCARENA da PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo) e carregaram cartazes com dizeres como “Ser LGBT é crime em 73 países” e “1 LGBT morre a cada 28h no Brasil”. Foi feita a pergunta em voz alta “Quem a homofobia matou hoje?” e cursistas a responderam como se fossem vítimas de casos conhecidos de LGBTfobia. Foi também falado na lesbofobia, bifobia e transfobia e o teatro aplaudiu a intervenção, assim como a coordenação do Curso.

“A importância (do ato) é para todas as pessoas que não estão a par do assunto da comunidade LGBT se conscientizarem de que qualquer piada faz efeito (ruim)”, afirmou a Ana Clara, 22, que veio de Curitiba (PR) para participar do Curso e esteve nas reuniões este ano que planejaram a intervenção. “Tudo que a gente reproduz pode matar alguém, pode gerar algo muito pior e, acima da sexualidade de qualquer pessoa, as pessoas são pessoas, são gente comum que estuda, trabalha, relaciona-se, tem amigos e família”, disse ela.

Para a cursista, o Curso de Verão ainda toca pouco no assunto da sexualidade e gênero nas palestras e tendas (oficinas), mas o espaço vem aumentando gradativamente. “Do ano passado para esse ano, tem tido o debate entre monitores e cursistas, está sendo mais aberto. Teve até a mesa sobre transexualidade que foi muito legal e estiveram presentes muitos religiosos. Sentimos que tem de haver mais visibilidade, mas isso é com o tempo também”, afirmou.

Um dos coordenadores da celebração de enceramento, José Nildo, agradeceu a intervenção. “A gente agradece as provocação que devem ser feitas e levada nos nossos caminhos”, afirmou José Nildo, em nome da coordenação do Curso.

Leia também:
30º Curso de Verão tem encerramento com compromisso pela paz e justiça.
Participantes do Curso de Verão reivindicam visibilidade do grupo LGBT.

Deixe um comentário »