Bookmaker artbetting.co.uk - Bet365 review by ArtBetting.co.uk

Bookmaker artbetting.gr - Bet365 review by ArtBetting.gr

Germany bookmaker bet365 review by ArtBetting.de

Premium bigtheme.net by bigtheme.org

“Não há como avançar no processo democrático sem uma reforma política”

jorge 14 de janeiro de 2015 0

Américo Sampaio_02bAinda na manhã do dia 13, Américo Sampaio, professor e assessor do Programa Cidades Sustentáveis, refletiu sobre a Reforma Política Democrática, durante o 28º Curso de Verão, na PUC/SP.

Em sua exposição, Sampaio esclareceu que “a política no Brasil é privatizada, ela encontra-se nas mãos dos ricos”. Isso deve-se a alguns fatores históricos: a sociedade brasileira foi marcada, durante séculos, por um sistema escravocrata; o recente período de ditadura empresarial-militar; e uma elite profundamente conservadora. Assim sendo, há uma cisão entre a política e o povo, que é convocado de dois em dois anos para participar do processo político através das eleições.

Considerando essa situação, o professor afirma que é necessário uma urgente reforma política. Mais de 100 entidades e grupos se articularam para implementá-la, formando a Coalizão pela Reforma Política Democrática e Eleições Limpas, “que defende a necessidade de o povo brasileiro se unir pela ampliação das conquistas democráticas, realizando um conjunto de reformas estruturais, entre as quais a reforma urbana, a reforma agrária, a democratização dos meios de comunicação, além de medidas relacionadas com a melhoria dos serviços públicos como saúde, educação e transporte coletivo urbano”.

A Coalizão pretende implementar a reforma política através de um projeto de lei de iniciativa popular, que precisa da coleta de cerca de 1,5 milhão de assinaturas.

O professor afirma, ainda, que “para a Coalizão não há como avançar no processo democrático sem resolver quatro problemas estruturantes do sistema político brasileiro, a saber: 1) o financiamento de campanhas por empresas e a consequente corrupção eleitoral; 2) o sistema eleitoral proporcional de lista aberta de candidatos; 3) a sub-representação das mulheres; 4) a deficiente regulamentação dos mecanismos da democracia direta”.

Até o momento, a Coalizão coletou pouco mais de 500 mil assinaturas e é necessário intensificar essa ação. Sampaio diz que a maior dificuldade é a falta de conhecimento da população sobre o tema. Também há a dificuldade da polarização que ficou muito marcada na última eleição (PT versus PSDB) e que tem sido, em geral, negativa, uma vez que a mídia acaba apresentado a reforma política de forma distorcida.

“É necessário ir para a rua, coletar as assinaturas! Vejo, portanto, como de fundamental importância ter incluído este tema no Curso de Verão”, concluiu.

Para mais informações e formulário de assinaturas, acesse: www.reformapoliticademocratica.org.br.

Equipe de Comunicação do Curso de Verão

 

Deixe um comentário »